sábado, 14 de maio de 2016

3# Update

Boa noite pessoal! 

Hoje fui a uma feira holística, no castelo de penela, foi muito porreiro, comprei uns papelinhos num caldeirão, faz-se uma pergunta e abre-se o papelinho. Perguntei se ia conseguir superar a ansiedade e chegar a um ponto em que a sei controlar e viver com ela e o papel respondeu-me "mude de direção". Ai lembrei-me que ainda nem vos contei o que descobri que desencadeou estes processos de ansiedade, sintomas depressivos, a história que já sabem...
Tenho muito orgulho em ser licenciada em Psicologia, e vim para este mestrado pela maior saída profissional que se ouve falar, e pelas poucas opções que a clínica parece dar. Mas entendi que de facto...não é isto que eu quero fazer da vida. Não é numa empresa, num contexto organizacional, que eu quero exercer uma profissão, que eu quero dedicar a minha vida, os meus dias, e nós temos de ter um significado para o que fazemos. Podem dizer-me que temos de ganhar para comer, claro que sim, não se coloca em questão eu negar ofertas de trabalho só por não serem o que eu quero, se não tiver alternativa! Mas tendo ainda alternativa...vou lutar pelo que eu quero fazer. Quero ser uma pessoa realizada a nível profissional, encarar o trabalho com gosto, com paixão! Não quero acabar como os exemplos que tenho à minha volta, de stress diário num local de emprego do qual não tiram qualquer proveito, o qual os abate emocionalmente.
Mas por outro lado o que eu quero terei de exercer fora do meu País porque infelizmente não existem ainda condições e mentalidade para o fazer cá. Quintas terapêuticas! Já existe cá algumas associações que realizam terapias assistidas com animais, nomeadamente cães e cavalos, no entanto em vários países Europeus já se vê as care farms, são quintas com porcos, galinhas, vacas, ovelhas, com plantações, etc, que ajudam pessoas com doenças mentais, depressões, ex-presidiários, crianças vitimas de abusos ou maus tratos, entre outros problemas que existam. E eu sem dúvida quero dedicar-me a esse tipo de terapias. Mandei uns 30 e-mails para Inglaterra, a pedir estágio, as respostas são positivas, no entanto sem ser remunerado não saio daqui a não ser para dormir debaixo de um ponte de lá ahah e respondem-me mesmo que seja para dizer que não realizam estágios...de cá do meu próprio país nem UMA resposta de uma das associações que cá existem que fazem terapia com cães, ZERO. Fico triste. Mas não desisto e o próximo passo é dirigir-me pessoalmente às que tenho mais perto! (entretanto vou também pesquisar pelo resto da Europa, tem sido uma pesquisa intensa, nem sempre é fácil encontrar este tipo de contactos, muitas não tem sequer site na internet, etc). 
O psicólogo diz que vou continuar em conflito uma vez que tenho de terminar o mestrado, e o estágio poderá ter de ser na área que não quero, MAS, psicologia positiva para cima, vai ser bom ter qualquer tipo já de experiência profissional, mesmo não sendo na terra! A passos pequenos vou caminhando para lá de qualquer forma :)

Beijinhos, continuação de um bom fim-de-semana ! :) vou agora ler as vossas novidades.

16 comentários :

  1. dianita, luta SEMPRE pelo que queres e não pelo que é seguro! acredita que vale a pena!!! não há dinheiro que pague o stress de estar a trabalhar numa coisa que não queres e que foste tu própria a escolher! luta! há um lugar para ti, de certeza! :)
    r: obrigada ahahah

    ResponderEliminar
  2. Tudo que fazemos com AMOR tem sentido,tem razão vale a pena.Não desista. Mudar a direcção às vezes é preciso. Continuo na torcida, bom Domingo, beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Tudo que fazemos com AMOR tem sentido,tem razão vale a pena.Não desista. Mudar a direcção às vezes é preciso. Continuo na torcida, bom Domingo, beijinhos

    ResponderEliminar
  4. Olá, Diana.
    Eu acostumei-me a vir aqui, saber de ti e de tua vida, mesmo quando passo e vou, sem deixar vestígios nem comentários, levo comigo um pouquinho de teus escritos, de teus anseios, de tuas alegrias (que também tens muitas, especialmente aí, nesse lugar encantado em que vives).
    Eu já tinha uma leve desconfiança, mas, na ausência de mais detalhes de tua vida, quem era eu para arriscar por veredas que poderiam não dar em bom caminho? Aguardei, serenamente... Sabes, a gente quando não está onde gosta, com quem não gosta, a fazer o que não gosta, a gente vive pela metade, às vezes só um quinto de nós é que vive. Muita gente vive assim. A maioria de nós, criaturas espalhadas neste mundo de Deus, sem santos, vive assim: a sobreviver. A lutar, a esgadanhar pela sobrevivência. E, há quem resista bem. Há os que optam por descarregar em quem está ao lado, infernizando a vida de muitos outros. Há quem busque escapes em coisas menos boas. E há os mais sensíveis, que sabem pelo que sofrem e se entregam a causas paralelas para aliviar seu nim-nim de vida ou recorrem aos ansiolíticos e c&a ( é só ver os dados apresentados por estudos) e há os que jogam tudo a apostar numa vida diferente: a sua, seja lá o que isso for.
    Às vezes é mais fácil. Às vezes é bem difícil.
    No teu caso: estás a nascer para a vida. Tens a força e o tempo do teu lado.
    Às vezes podes não ir directamente, numa linha recta, daqui até ao teu objectivo. Pode ser que tenhas que ir por outros estágios primeiro, ganhando experiência em outros locais, enchendo currículo, esperando e procurando sempre. Porque é bom também ter experiências variadas, que engrandecem e dão corpo à teoria que já tens adquirida. É preciso um trabalho grande para engrandeceres e reforçares competências, para ofereceres algo diferente do que os outros oferecem e assim, chamares o interesse para ti. Isso leva tempo e dá trabalho, mas não é para desistir: é para ser motivação.
    um bjn mto amg

    ResponderEliminar
  5. Em termos de espaço, se calhar até tens as condições para abrir uma clínica desse tipo. Já tens ovelhas e um coelho e burros arranjam-se com facilidade (vais ver hoje nas comemorações do vencedor do campeonato de futebol, a quantidade de bestas que vão andar à solta eheheh).
    Estou a brincar, porque deve ser preciso muito dinheiro e muita burocracia para abrir uma clínica. Mas é pena que as pessoas continuem a ter de emigrar para terem futuro, quando o futuro parece estar ao alcance de uma mão.
    Às vezes as pessoas ficam a olhar para mim, com ar de reprovação, quando eu digo que o azar dos portuguêses foi terem nascido em Portugal. Mas é verdade. Portugal foi sempre o país das oportunidades perdidas...

    ResponderEliminar
  6. Mude sempre de direção... é caminhando que se encontra o caminho!!!
    Vais achar teu caminho, com certeza.... o tempo de Deus é outro!!!

    ResponderEliminar
  7. Ola' Diana, obrigada pelo carinho e por apareceres la' no meu cantinho. A 'area que estudas neste momento pode nao ser aquela que queres exercer como profissional, mas e' parte do caminho para la' chegar. Pelo que acho que nao deves baixar os bracos, continua essa luta pelo teu sonho e com certeza um dia vais sentir-te melhor contigo mesma :) E' de admirar e de respeitar esse teu sonho! Beijinho

    ResponderEliminar
  8. Não desistas de procurar aquilo que queres, mesmo que seja longe !
    Beijinho,
    Rainha dos Tropeções

    ResponderEliminar
  9. Não desistas do que te faz feliz :D

    ResponderEliminar
  10. Bom fim de semana querida Diana :) Já é bom teres noção da causa!!

    ResponderEliminar
  11. O que é preciso é ir caminhando, Diana.
    Espero que consigas realizar o que pretendes.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  12. Estou a torcer por ti. Passinhos devagarinhos e chegarás longe.
    Um beijinho grande
    elisaumarapariganormal.blospot.pt

    ResponderEliminar
  13. Torcendo para que consigas essa área, Diana... que é tão bonita!...
    Uma pena que cá não esteja mais desenvolvida... mas com persistência... certamente obterás algum resposta positiva, dentro de algum tempo... até lá... talvez insistindo junto das associações, que por cá, mais se aproximam do que tu gostas... e em último caso, um estágio não remunerado cá nessa área... poderá ser uma porta aberta com mais facilidade, para ires lá para fora, posteriormente, com alguma experiência... quem sabe?
    E se pudesses visitar pessoalmente algumas dessas que não te mandam resposta, cá... sabes... às vezes, o pessoal tem simplesmente preguiça de responder... ao que quer que seja... até por mail... mas cara a cara... às vezes... a coisa dá-se!... Nada perdes em tentar, se lá de fora não surgir nada, entretanto...
    Beijinhos
    Ana

    ResponderEliminar
  14. Acho que concluíres esta etapa do mestrado vai ser um grande alívio para ti e vais poder focar-te em coisas que te fazem mais feliz. Quando fiz o mestrado, o período da tese foi terrível: não estava feliz com o tema da minha tese, não me organizei, andava desinteressada... mas foquei-me num objetivo: terminar! Não fiquei super orgulhosa do meu trabalho final mas a nota podia ter sido pior e a verdade é que foi um tremendo alívio poder pôr tudo para trás das costas e seguir em frente com o meu objetivo primordial: ser feliz :)
    Não tinha conhecimento desse tipo de terapias mas tem a tua cara! Boa sorte Diana!

    ResponderEliminar
  15. Olá Diana! Já não passava aqui há algum tempo, também por andar um pouco à procura do meu lugar, mas não podia deixar de te dizer alguma coisa sobre este post.
    Devias sentir-te orgulhosa de ti! É muito difícil admitirmos que não estamos no caminho certo e assumir que temos de mudar a rota. Muitas, muitas pessoas nunca o fazem e acabam por levar vidas vazias em nome do comodismo. Eu sei como te sentes, também porque apesar de saber o que quero fazer, sei que será difícil fazê-lo aqui precisamente. E correr atrás da nossa realização implica pelo menos deixar temporariamente uma outra parte da nossa vida. Faz parte! Temos apenas de pensar que não é suposto iniciarmos no nível máximo de satisfação, há todo um caminho a percorrer e temos de tirar proveito e prazer de cada um dos pequenos passos que vamos dando. E os passos atrás também contam! Ou os passos ao lado, quando queremos ver um caminho alternativo que talvez nunca tivéssemos considerado mas que, de repente, passa a fazer sentido. Portanto, desejo-te a maior força e sorte na busca pelo que te faz sentir bem contigo. Não tenho a menor dúvida de que irás ultrapassar esta fase de maior insegurança e ser excelente naquilo a que te decidires dedicar!

    ResponderEliminar