sexta-feira, 15 de agosto de 2014

Estou na sala,

moderna para a altura, até já temos uma televisão, os vizinhos invejam, tanto pela televisão que vão cuscando da janela como a felicidade estável que se vive aqui dentro. Ao fim de tarde o meu marido senta-se na poltrona dele e eu na minha, vou-me aconchegando enquanto o sono pesa, ele lê o jornal e ri de ter sobrevivido a uma guerra para agora estar a começar outra para a qual provavelmente terá de ir ajudar. Aceitou o facto de que a vida toma rumos por vezes não do nosso agrado, e assim vive melhor com o medo que tem. Eu deixo-me adormecer à medida que o livro me vai escorregando das mãos, enquanto isso, penso no quanto somos tranquilamente apaixonados e felizes, e sei que mesmo acontecendo algo grave na guerra nunca me irá morrer, o que separa este mundo do mundo para onde ele iria não é uma parede impenetrável como muitos comuns mortais assim o pensam.

                                                                                                                          Diana Machado


4 comentários :

  1. r: psicologia é um dos cursos para os quais jamais iria, meu deus !
    pois, não sei. mas é provável que sim.

    ResponderEliminar
  2. r: psicologia e tudo o que a envolve nunca me cativou. não tenho nada contra, como é óbvio, mas, por norma, tudo o que envolva o ser humano não me chama à atenção !

    ResponderEliminar
  3. r: Sem dúvida :o
    "é um sentimento até tão simples, que o ser humano sempre complicou demais. " Concordo completamente!

    ResponderEliminar