segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Deitei-me na relva

do meu jardim, naquele tão grande jardim, e observei as estrelas. o filho do jardineiro que por ali tem passado e que tem ousado cada vez mais iniciar um diálogo comigo sentou-se ao meu lado, eu, com o ultraje nem me mexi, se calhar nem foi do ultraje em si mas porque não vi necessidade de sair dali. Começamos a conversar sem dar por isso, falamos do nosso dia, da colheita, do arrufo com os pais dele tiveram por causa do pai dele se andar a esticar nas horas no bar e quando o assunto acabou, deitou-se ao meu lado. Contou estrelas, contou histórias de outros tempos e entre uma história e outra deu-me para rir, e ri com vontade a pensar que talvez esteja sempre a reclamar dos rapazinhos fúteis e irritantes que me apresentam e nunca reparei num rapazinho simpático e engraçado que tem estado durante anos mesmo ali ao lado?

                                                                                                                                Diana Machado



1 comentário :